segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Aos fatos. Dilma roubou. Dilma é corrupta.

O processo do impeachment, como sabemos, é motivado pela fraude fiscal que Dilma cometeu. Seu afastamento é uma punição descrita na constituição. Todo o rito do processo, que tramita há quase nove meses no congresso, foi avalizado pelo STF. Ou seja: A fraude, por si mesmo, é razão mais do que suficiente para enxotarmos Dilma da presidência, já que a maquiagem fiscal foi feita com o único objetivo de esconder a real situação da economia.

Dilma Mentiu para se reeleger. Fraudando as contas públicas, gerou o maior período de recessão de nossa história, com efeitos terrivelmente reais na vida dos trabalhadores mais pobres, que perderam o emprego e o poder de compra. Mas parece que esse argumento é pouco.
Petistas de diversos partidos acreditam que isso não basta para tirá-la do poder, afinal, ela é uma comunista eleita democraticamente. Dizem que Dilma é honesta. Que Dilma não roubou. Que Dilma não participou dos esquemas de corrupção.

Aos fatos:

Em depoimentos à justiça, Delcídio do Amaral, petista que era o líder do governo no senado, afirmou que as campanhas de Dilma em 2010 e 2014 receberam R$ 45 milhões desviados das obras da usina de Belo Monte.
Delcídio foi preso por tentar comprar o silêncio de Nestor Serveró, ex-diretor da Petrobrás que, por sua vez, afirmou que Dilma sabia que a compra da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos, por um valor muitas vezes superior ao que realmente valia, era nada mais do que uma forma de favorecer determinadas empresas em troca de propina para o PT e para as campanhas eleitorais da petista.

Nestor Cerveró também afirma que algumas despesas pessoais de Dilma foram bancadas com dinheiro de propina.

Delcídio afirma que cumpriu ordens da presidente de república ao tentar comprar o silêncio de Serveró.

O mesmo Delcídio entrega a Polícia Federal gravações telefônicas nas quais o petista Aloysio Mercadante, um dos ministros mais próximos de Dilma, tenta suborná-lo para que ele não assinasse uma delação premiada. Nas gravações, Mercadante diz que o acordo entre eles seria amparado por Dilma, que atuaria junto ao presidente do STF, Ricardo Lewandowski, e ao presidente do Senado, Renan Calheiros, para que ele fosse favorecido nas decisões sobre seu processo referente a operação Lava Jato.

O assessor de Delcídio, Diogo Ferreira, afirmou em depoimento que Dilma nomeou Marcelo Navarro como ministro do STJ com a missão de interferir na operação Lava Jato e mandar soltar o empreiteiro Marcelo Odebrecht.

No dia 07 de maio, a revista IstoÉ publica trechos da proposta de delação premiada de Marcelo Odebrecht, na qual o executivo afirma que foi pressionado pelo então presidente do BNDES Luciano Coutinho e o pelo ex-ministro da Fazenda Guido Mantega a doar dinheiro para a campanha de Dilma de 2014.

Marcelo Odebrecht confirma que a nomeação de Navarro foi uma tentativa de livrá-lo da cadeia.

Os marqueteiros João Santana e sua esposa-sócia Mônica Moura confirmam, em diversos depoimentos, todas as afirmações de Delcídio sobre as campanhas de Dilma terem sido financiadas com dinheiro de propina. Santana vai além e diz que tratava dos pagamentos com a própria presidente da república, que tinha pleno conhecimento da origem do dinheiro.

Segundo matéria publicada em 30 de junho pela revista Veja, na delação premiada de João Santana também consta informações de que Dilma pressionava o diretor-presidente da Caixa Econômica a pedir dinheiro às agências de propaganda em retribuição aos contratos firmados com o banco estatal.

Santana e Moura eram as pessoas mais próximas à Dilma. Eram amigos. Tinham credenciais permanentes para entrada irrestrita nos palácios da Alvorada e do Planalto.

No dia 05 de agosto, o TSE revela que 1/3 dos gastos da campanha de 2014 de Dilma foram com 43 empresas de fachada, criadas especialmente para lavar dinheiro de propina. Ao todo, foram R$ 133 milhões pagos a empresas que sequer tinham funcionários.

Na proposta de delação premiada de Leo Pinheiro, vazada pela revista Veja, consta que sua empresa, a OAS, também pagou propina para a campanha de Dilma por meio de contratos fictícios.

Outro executivo, Otávio Marques de Azevedo, da construtora Andrade Gutierrez, também afirma ter pago propina à campanha de 2014 de Dilma em função dos contratos firmados para as obras da usina Belo Monte, para o Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro e também para a Usina Nuclear Angra 3.

Otávio Marques Azevedo revelou também que, sob o conhecimento de Dilma, a Petrobrás aprovou gastos de R$ 26 bilhões em diversos projetos mesmo sabendo que não teria retorno. Os projetos eram concebidos apenas para justificar pagamentos de propina.

Praticamente todas as pessoas que trabalharam diretamente com Dilma estão implicadas de alguma forma pela operação Lava Jato; e todas elas dependiam hierarquicamente da aprovação de Dilma para viabilizar os esquemas.

Uma característica de toda organização criminosa é que o chefe não suja as mãos. Ele apenas manda seus capangas coagir, extorquir, sequestrar, torturar e matar as pessoas, o que não significa que ele não praticou esses crimes. Os líderes de todas as ditaduras da história e que deram liberdade para seus subordinados torturar e matar pessoas também são tão torturadores e assassinos quanto seus subordinados – talvez mais.

Um chefão da máfia ou um ditador viabiliza diversos tipos de crime com um objetivo: Manter sua boa vida, seus luxos, seu poder sobre os demais. Foi o que Dilma fez. Dilma roubou. Dilma é corrupta. Dilma organizou ou no mínimo deixou as “coisas” acontecerem porque ela seria diretamente beneficiada com um salário de R$ 34 mil, dezenas de serviçais, viagens em avião executivo, hospedagens em hotéis caríssimos, a vida de luxo num palácio e o prazer de olhar para baixo e ver todos submissos a ela.

Dilma deixou que suas campanhas fossem financiadas com dinheiro de corrupção porque ela queria ter a vida que teve. Queria mais 4 anos de nobreza. Dilma roubou. Cada centavo de seu salário é sujo. Cada uma de suas noites no Palácio da Alvorada foi financiada com dinheiro roubado. Dilma é tão suja quanto Eduardo Cunha.

É hora da sociedade perder o pudor chamá-la do que ela é: CORRUPTA!

João César de Melo é artista plástico e escreve para o Instituto Liberal

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Lula e Marisa são indiciados em processo da Lava-Jato

Lula e Marisa negam que sejam proprietários do triplex (Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula)
A Polícia Federal indiciou nesta sexta-feira, 26, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, sua mulher Marisa Letícia e mais três pessoas por corrupção ativa, passiva e lavagem de dinheiro envolvendo suspeitas de irregularidades na compra e reforma do triplex do Guarujá, em São Paulo, e no depósito de bens do ex-presidente. É o primeiro indiciamento formal contra o ex-presidente na Lava Jato.

O indiciamento não significa culpa ou condenação, mas aponta que há indícios da prática de crimes que precisam ser investigados. Ele antecede a denúncia criminal a ser apresentada pelo Ministério Público ao juiz federal Sérgio Moro, que conduz as investigações da Lava Jato. Os procuradores pediram um prazo de 90 dias para concluir a denúncia.

A PF afirma no inquérito que foi possível apontar Lula e Marisa Letícia como beneficiários de vantagens ilícitas oferecidas pela empreiteira OAS, em valores que chegam a R$2,4 milhões. O dinheiro foi destinado a obras de reforma no apartamento do Edifício Solaris, em Guarujá, litoral de São Paulo, e no custeio de armazenamento de bens do petista.

Também foram denunciados no inquérito José Adelmario Pinheiro Filho, ex-presidente da empreiteira, o arquiteto Paulo Gordilho e o presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto.

Os outros três denunciados no inquérito da PF são José Adelmário Pinheiro Filho, ex-presidente da OAS, o arquiteto Paulo Gordilho e o presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto.

Fontes:
Estadão - Polícia Federal indicia Lula e Marisa por corrupção e lavagem no tríplex do Guarujá

terça-feira, 23 de agosto de 2016

A fase final do impeachment


Finalmente, o Brasil está próximo de se livrar do maior engodo presidencial de que se tem notícia; da maior incompetência administrativa surgida, responsável pela quase bancarrota do país, onde hoje mais de 13 milhões de desempregados endividados e empresas fechadas pagam o preço da politica desastrada da “economista nota zero”, Dilma Rousseff.


Dilma deixará um legado negativo de má administração: uso ilegal de engenharia contábil para driblar lei fiscal – pedaladas atestadas pelo TCU; desrespeitou a competência do Legislativo ao emitir decretos suplementares; como presidente do Conselho da Petrobras, fez vistas grossas às manobras, que levaram a estatal ao grande prejuízo da República; o petrolão denunciou Dilma e Lula, entre outras coisas, como beneficiários de dinheiro ilícito para suas campanhas políticas; Dilma foi omissa diante do quadro de irregularidade da Petrobras, pois ela sabia do que se passava na estatal e nada fez para impedir; ademais, ainda quis proteger Lula ao planejar escandalosamente a sua assunção na Casa Civil.


Dilma cometeu sim crime de responsabilidade de que trata a Constituição Federal, já endossado pela Câmara Federal e preliminarmente pela maioria dos membros do Senado Federal. O processo de impeachment foi constitucionalmente legal e a História não decepcionará as novas gerações ao tomarem conhecimento do que ocorreu no país.


Em pouco tempo de governo interino, o país já respira novos ares e com resultados positivos, o que traduz aos investidores perspectivas auspiciosas.

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Deputado Chapadinha aluga imóvel do próprio genro por valor quatro vezes maior | Congresso em Foco

Deputado Chapadinha aluga imóvel do próprio genro por valor quatro vezes maior | Congresso em Foco

EIS AQUI UM DEPUTADO SAFADO, DOS MUITOS QUE EXISTEM NO CONGRESSO NACIONAL. OS CULPADOS CONTINUAM SENDO OS ELEITORES IRRESPONSÁVEIS, QUE ELEGEM QUALQUER PULHA.

Lula & Cia


Um abaixo-assinado de juristas foi entregue nesta segunda-feira (01) ao presidente do STF, Ricardo Lewandowski, em apoio à decisão da defesa do ex-presidente Lula de recorrer ao Comitê de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU).

Um bando de “juristas” partidarizados, em vez de defenderem a moralidade pública, os valores morais da República, se bandeia para o lado do indecoroso Lula, um cidadão desmascarado pela Operação Lava-Jato, que teve a proeza de enriquecer só vivendo de política.

O sinistro abaixo-assinado é um desrespeito ao próprio STF, em pleno Estado Democrático de Direito, o qual até agora tem respaldado constitucionalmente as ações do juiz Sérgio Moro.

Assim, é um desrespeito, muita petulância e uma afronta ao país Lula apelar ao Comitê de Direitos Humanos da ONU, para fazer queixa contra um magistrado, que tem demonstrado imparcialidade, competência e coragem de chamar às barras da Justiça aqueles que cometeram irregularidades. Lula se considerava acima da lei e não imaginava encontrar em seu caminho o juiz Sérgio Moro. Tudo indica que Lula esteja se preparando para um possível pedido de asilo político.

A sociedade brasileira apartidária deseja que todos os políticos corruptos tenham o mesmo destino dos demais delinquentes: cadeia.

quinta-feira, 28 de julho de 2016

Vaquinha para Dilma Rousseff


O suprassumo do absurdo. Coisas de um Brasil doente, só pode ser. Até 11/07, a vaquinha iniciada no dia 29/6 para pagar as viagens pelo país da presidente afastada, Dilma Rousseff, atingiu R$ 725 mil, ou 145% do previsto (R$500 mil reais). As criadoras da plataforma no site Catarse são duas antigas amigas da presidente afastada, Guiomar Lopes e Celeste Martins, que lutaram na ditadura militar ao lado de Dilma.

Esse povinho botocudo do PT não tem vergonha na cara. Se fosse para fazer vaquinha para tirar alguém da miséria, ou para custear as despesas de internamento de um paciente pobre, ou para pagar os gastos escolares de um jovem da periferia, para que ele não se torne mais um número a constar da estatística criminal brasileira, certamente não haveria solidariedade da hipócrita sociedade partidarizada petista.

Mas o filme é o mesmo e novamente protagonizado pela idolatria mórbida dos correligionários petistas, que, de forma ensandecida e demonstrando faccionismo partidário, repetem atitudes insólitas e semelhantes às demonstradas no episódio do mensalão, em que uma quadrilha, condenada pelo STF, teve as suas multas pagas, como José Dirceu, por contribuições de indecorosos petistas.

Lamentavelmente, há muita gente irresponsável no país, que não mede os desatinos de seus atos. Enquanto se angaria fundos para aliviar a vida de políticos corruptos ou de governos afastados por cometimentos de irregularidades, os farisaicos colaboradores desses energúmenos fingem desconhecer o estado de quase bancarrota do país, onde mais de 12 milhões de trabalhadores estão desempregados e endividados, empresas fechando todos os dias, inflação incomodando a vida do cidadão e tudo por causa da incompetente administração de Dilma Rousseff.

segunda-feira, 25 de julho de 2016

Escola sem partido é golpe na escola, escreve Paulo Pimenta | Congresso em Foco

Escola sem partido é golpe na escola, escreve Paulo Pimenta | Congresso em Foco

A mediocridade do deputado Paulo Pimenta só tem lugar no Parlamento brasileiro, infestado de nulidades e de políticos mequetrefes.
O deputado e seus pais foram educados dentro de uma escola onde havia ética e moralidade. Onde havia hierarquia e respeito. Não foram educados sob a orientação de ideologia política e partidária, e por isso eles chegaram com a cabeça limpa de porcarias ideológicas. Mas muitos deles se desvirtuaram no caminho da vida.
O deputado e outros mequetrefes políticos, que pregam a escola partidarizada, deveriam respeitar a escola sadia, a escola visando à formação do cidadão para o trabalho sem ideologias partidárias.
A escola de primeiro e segundo grau não é lugar para iniciações partidárias. A consciência político-partidária se adquire com maturidade e não por imposição doutrinária na escola inicial. O que o PT desejava era impregnar a educação brasileira de ideologias comunistas, mas isso o governo pós-PT irá brecar.
O senso crítico na escola inicial é salutar, mas não sob a ótica da partidarização ou de ideologias políticas.