segunda-feira, 12 de novembro de 2018

A habitual crítica da esquerda e os altos salários


Já se tornou habitual a oposição petista manifestar-se  contrária a qualquer medida governamental que não seja de sua  lavra, mesmo que  positiva ao país. Vejam, por exemplo,  a enxurrada de malhação do PT à reforma trabalhista implantada pelo atual governo, que veio corrigir distorções.

Antigamente não podia, gora qualquer empregado e empregador pode estabelecer as bases de trabalho e salário, sem interferência de sindicatos.

Os sindicatos pelegos não se conformam com a perda do poder de intromissão na relação trabalhista, da era Vargas. Isso gerou consequentemente redução de receita dos sindicatos, que se locupletavam com o dinheiro dos trabalhadores.

Vejam alguns efeitos da reforma trabalhista, contestada apenas pelos reacionários petistas de sempre, e que colocam o país no rol daqueles com legislação trabalhista mais avançada: redução das ações trabalhistas, enfraquecimento financeiro dos sindicatos – verdadeiro antro de larápios  trabalhistas – e baque nas negociações coletivas.

Os mesmos que contestam a atual reforma  trabalhista hoje estão precipitadamente crucificando Jair Bolsonaro que se propôs a enxugar a  quantidade de ministérios inoperantes e paquidermes, recrudescida no período do governo petista para acomodar os seus apaniguados políticos.

No entanto, o enxugamento de ministérios é uma necessidade contra a farra dos gastos públicos de Brasília, que consome demasiadamente o  dinheiro do contribuinte e que faz muita falta ao social.

Os políticos birrentos da esquerda deveriam ter mais sensibilidade e responsabilidade com os gastos públicos, como também os demais parlamentares. Eles, por exemplo,  não consideram exorbitantes os seus altos salários acrescidos de muitos penduricalhos e mordomias em relação àqueles trabalhadores que ganham muito menos.

Por que os parlamentares não propõem a redução de seus salários diante da crise financeira por que passamos, pois quem paga essa conta é justamente os pobres e a classe média?

Por que também não é proposto  igualar  os gastos parlamentares nacionais aos níveis adotados pelo Parlamento sueco, que dá  ao mundo o exemplo de moralidade com os gastos públicos, por quê? E se não bastasse, o Senado aprovou por 41 votos a 16 o reajuste salarial  (16,38%) dos ministros do STF, que passarão  a receber R$ 39,2 mil,  já prevendo se  beneficiar igualmente do aumento, que virá naturalmente em cascata, na área pública. O presidente Michel Temer deveria  vetar o intempestivo reajuste.



quinta-feira, 1 de novembro de 2018

A INTOLERÂNCIA DO PT

Infelizmente, depois do surgimento do PT, o país sofreu um antagonismo político irracional em que o bem-estar, a paz e o progresso da nação ficaram subjacentes em relação à busca da manutenção do poder, a qualquer custo, pelo Partido dos Trabalhadores, liderados por Lula e segmentos radicais petistas.

A polarização ranzinza continua existindo, e Fernando Haddad em sua primeira manifestação, logo após o resultado das urnas, conclamou a militância petista a cerrar fileiras na oposição contra o governo e já visando à próxima eleição ao Planalto.

Ora, em vez de reconhecer democraticamente a derrota e desejar sucesso ao novo presidente, o PT alimenta invulgar ódio político se não tiver o país sob o seu comando.

A militância petista se comporta como torcedor, por exemplo, de Grêmio ou Internacional, Vasco ou Flamengo, Atlético ou Cruzeiro... Um quer ver a desgraça do outro. E essa índole maléfica, lamentavelmente, é disseminada no seio familiar.

Assim, depois de inglorioso período corrupto de governo do PT, o Brasil ressurge com a esperança de volta da ordem e do progresso, agora sob  o  comando de JAIR BOLSONARO, legitimamente eleito pela maioria dos eleitores brasileiros.  

Esperamos que  o novo governo faça uma limpeza no país, restaure a confiança nas instituições, dê fundamental atenção à educação,  saúde, segurança e que recomende para a cadeia muitos políticos corruptos, observando o devido processo legal. E que Lula tenha tratamento prisional da mesma forma como são tratados os demais presos brasileiros: sem privilégios e em carceragem comum. 

sexta-feira, 26 de outubro de 2018

O BRASIL PRECISA DE MORALIZAÇÃO


LULADRÃO está preso porque roubou a nação. Se você deseja não ser mais governado por partido e governo corrupto, então, não vote em Fernando Haddad, vote em JAIR BOLSONARO, que não é corrupto, não tem vinculação com político corrupto e que sintetiza a esperança de um novo Brasil de disciplina, ordem e progresso.

quarta-feira, 24 de outubro de 2018

O desespero de Fernando Haddad bate à porta do TSE

Campanha de Haddad vai ao TSE pedir entrevista na TV Globo por ausência de Bolsonaro em debate.

O desespero tomou conta de HADDAD e o do PT. Veja só, uma emissora privada, a TV Globo, sendo ameaçada na Justiça a ser obrigada a fazer entrevista com o candidato petista. E HADDAD, LULA e demais corja petista chamam o futuro presidente da República, Jair Bolsonaro, de interventor, de autoritário, de imperioso e de outras incivilidades.

O PT estava acostumado mandar no país, a tomar atitudes na marra e a desrespeitar os ordenamentos jurídicos. Mas os tempos estão mudando. E a Lava-Jato inaugurou um marco de novo rumo jurídico no Brasil, para desgosto de LULA e de toda a sua corja.

A maioria do eleitor nacional, que já elegeu Bolsonaro em primeiro turno, não precisa ouvir debate político, porque já conhece as propostas abertas, claras, cristalinas e sem rodeios do candidato Bolsonaro, bem diferente do preposto de LULA - o poste que deixou a prefeitura de São Paulo com índice de reprovação superior ao ex-prefeito CELSO PITTA - e que representa o ideário do prisioneiro LULA, que roubou e depauperou o país.

terça-feira, 23 de outubro de 2018

DEPUTADO PETISTA WADIH DAMOUS RECOMENDA O FECHAMENTO DO STF


Clique no link para ler a notícia completa no UOL

'Tem que fechar o Supremo Tribunal Federal', diz deputado do PT
UOL Notícias - Política - 13/04/2018 -
https://noticias.uol.com.br/politica/ultimas-noticias/2018/04/13/tem-que-fechar-o-supremo-tribunal-federal-diz-deputado-do-pt.htm

PETISTAS SÃO SAFADOS, SE FAZEM DE MOUCOS OU SOFREM DE AMNÉSIA, SÃO OS PIORES HIPÓCRITAS POLÍTICOS. ESTÃO VENDO A NAU NAUFRAGAR E SE VALEM DE QUALQUER CACO, DE QUALQUER CACACA PARA SE AGARRARREM. SÃO UNS CRETINOS E INDIGNOS DE CONFIABILIDADE.

VEJAM SÓ O DESESEPERO DO CANDIDATO HADDAD: SEM ARGUMENTO E SEM PROPOSTAS QUE POSSAM CATIVAR O ELEITOR NACIONAL, COMO CARTADA DESESPERADA LANÇA MÃO DE DECLARAÇÕES (ANTIGA) DO DEPUTADO EDURDO BOLSONARO PARA TENTAR PREJUDICAR A CAMINHADA VITORIOSA E MASSACRANTE DO FUTURO PRESIDENTE DO BRASIL: JAIR BOLSONARO.

HADDAD SE MOSTRA UM PUERIL AO FINGER DESCONHECER OS SENTIDMENTOS DO PT, OU SEJA, DO PORTAVOZ JURÍDIDICO DE LULA – DEPUTADO SUPLENTE CARIOCA WADIH DAMOUS, O QUAL JÁ HAVIA SUGERIDO O FECHAMENTO DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL.

ORA, POR QUE RAZÃO A MANIFESTAÇÃO DE WADIH DAMOUS NÃO FOI CONSIDERADA PELO PT UMA AFRONTA, UM DESRESPEITO OU UMA INVESTIDA CONTRA O ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO? POR QUÊ? E POR QUE TAMBÉM O SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL FICOU SILENCIOSO? RESPONDAM PETISTAS E COMUNISTAS DE ARAQUE!
HADDAD É UM BRAVATEIRO TANTO QUANTO O PRESIDIÁRIO LULA.

quarta-feira, 17 de outubro de 2018

O FURACÃO BOLSONARO

O PT, que governou o país por mais de treze anos, pintou e bordou como se fosse se eternizar no poder, deixando o Brasil quebrado com mais de 13 milhões de trabalhadores desempregados e endividados, vê aproximar-se oficialmente o fim de seu malogrado reinado.

E a temperatura desfavorável pôde ser testada com a supremacia expressiva da votação obtida por Jair Bolsonaro.

Por outro lado, Dilma Rousseff, que se considerava injustiçada pela cassação de mandato, agora não pode mais reclamar, pois as urnas mineiras confirmaram a sua cassação ao não elegê-la ao Senado, amargando assim a ex-presidente a vexaminosa quarta colocação.

O PT, outrora um partido voluntarioso, birrento, dono da verdade e das soluções mágicas, por que ausentou LULA e DILMA de sua propaganda política? Não adianta agora trocar a camisa vermelha comunista pela verde e amarela, tentando enganar a galera, pois o furacão Bolsonaro ressurgiu forte da morte encomendada.

Como diz a sabedoria popular, em time que está ganhando não se mexe. Por isso, para continuar o massacre eleitoral, Bolsonaro não precisa se apresentar de corpo presente para debater com Haddad, o qual, sem proposta própria, apenas reproduz o pensamento de Lula.

São 18 milhões de votos iniciais que separam Bolsonaro de Haddad. E não tem volta, pois as pesquisas continuam a registrar o seu crescimento eleitoral.

Haddad representa a velha política do assistencialismo, da distribuição dos cargos públicos, da contaminação das instituições públicas como foi a Petrobras, do retorno à Era Vargas ao pretender revogar a reforma trabalhista positiva em curso, bem como o teto de gastos públicos, cuja lei vigente pôs freio no crescimento desordenado das despesas federais e representa o único instrumento de controle fiscal no médio prazo.

Assim, em 28/10/2018, votem com consciência naquele que não é corrupto e não tem nenhuma relação com corrupto preso.

Tchau, PT!

segunda-feira, 8 de outubro de 2018

Jair Bolsonaro, a esperança de um Brasil de disciplina, ordem e progresso


Com 46,03% dos votos, Jair Bolsonaro deixa em pandemônio o PT, que ainda pensava que mandava no país. Tentaram assassiná-lo, mas Bolsonaro se mostrou resistente, deu a volta por cima e ressurgiu mais forte com expressiva votação em primeiro turno. A verdade é que o povo brasileiro não suporta mais ser comandado por governos corruptos.

Fernando Haddad nada mais é do que outro poste ou marionete comandado por Lula - como foi Dilma Rousseff -, que não conseguiu se reeleger em São Paulo e deixou a prefeitura com a pior avaliação em fim de mandato desde Celso Pitta.

A tropa de choque do PT, através de factoides, mentiras, uma característica própria do partido, tentou e não conseguiu descontruir a imagem e as boas intenções de Jair Bolsonaro, para derrotá-lo. Mas a sapiência eleitoral já deu o recado em primeiro turno de que o país precisa de nova alternativa não corrupta para recuperar o Brasil.

Ora, quem é o PT diante de um país cujos governos quase afundaram a nação? Não fosse a cassação providencial e legítima da incompetente Dilma Rousseff, com práticas administrativas condenáveis, hoje o país estaria em pior situação.

Não se pode esquecer de que o PT em mais de treze anos de governo deixou uma grande divida social e econômica: mais de 13 milhões de trabalhadores desempregados e endividados em compromissos contraídos durante a política consumista irresponsável de Lula e Dilma; inflação alta; empresas quebradas; descrédito internacional; a Petrobras saqueada dando prejuízo aos acionistas e credores, etc., etc.

O desfecho de Haddad no segundo turno será indubitavelmente igual à derrota do outro poste de Lula, Dilma Rousseff, que foi simplesmente ignorada pelos eleitores mineiros e amargou a 4ª colocação ao Senado, contrariando a pesquisa manipulada, que indicava a ex-presidente como líder desde o início da campanha.

Não se pode olvidar também que o governador petista de Minas Gerais, Fernando Pimentel, não conseguiu a reeleição.

Assim, Jair Bolsonaro vem para repaginar o país e devolver a esperança de um Brasil de disciplina, ordem e progresso. Bolsonaro é o único candidato em condições de enfrentar o grave problema de falta de segurança por que passa a sociedade brasileira. Não cometerá os mesmos erros de governos passados, que negligenciaram políticas fortes nas áreas de educação, saúde e segurança. Bolsonaro devolverá a credibilidade para o investimento interno e externo no Brasil.