sábado, 21 de abril de 2018

Crime sem prova, condenação política e o que falta mais?


" Sarney está desesperado para voltar ao poder", diz Flávio Dino. O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB) atribuiu, nesta sexta-feira (20) a seus adversários políticos a crise que enfrenta em sua segurança pública após a divulgação de ofícios do alto escalão da PM pela espionagem de oposicionistas.

Pois é, o governador Flávio Dino pode até ter as suas fundadas razões para suspeitar da investida do Sarney. Mas quanto à prisão de Lula, o ex-magistrado comete um grande equívoco ao duvidar da seriedade judicial que condenou o ex-presidente à prisão. Vamos lá...

Dilma Rousseff, Gleisi Hoffman, Lindbergh Farias, Fátima Bezerra, Humberto Costa, Vanessa Grazziotin, Maria do Rosário, Paulo Pimenta, Jandira Gehali, Flávio Dino e outros, que de forma desrespeitosa ao Judiciário insistem com a ladainha do Lula condenado sem prova, deveriam todos ser processados. As suas atitudes contra o resultado da condenação desmoralizam o Poder Judiciário, cujas decisões devem ser acatadas, não obstante se possa discordar delas, mas de maneira civilizada.

A ex-presidente sul-coreana Park Geun-hye foi condenada a 24 anos de prisão por corrupção e abuso de poder e, no entanto, na Coreia do Sul não houve nenhuma exaltação violenta similar à protagonizada por desvairados sectários esquerdistas brasileiros e nem os parlamentares foram inspecionar as condições da prisão ou como a condenada está sendo tratada.

O ex-presidente do Peru Ollanta Humala foi preso preventivamente, acusado de lavagem de dinheiro e também, no Peru, não houve nenhuma comoção desvairada e nenhum parlamentar foi inspecionar as condições da prisão ou como o preso está sendo tratado.

Por que Lula, condenado por robustas provas, que comandava um esquema criminoso de saque sistemático de dinheiro público, como ficou provado na Lava-Jato, pode ter tratamento diferenciado, por exemplo, de um Fernandinho Beira-Mar, cuja única diferença entre ambos está no modus operandi de agir? Eduardo Cunha continua preso, e a prisão dele é ilegal?

Ora, Lula foi condenado em duas instâncias e naufragou com a tentativa dos embargos dos desembargos de declaração, bem como do habeas-corpus no STF, tendo tido assim, pois, todas as chances de se defender. E falar agora em condenação política é um grande despautério.

Lula foi o mais desonesto dos políticos brasileiros, pois soube enganar os pobres, dando-lhes migalhas, enquanto subtraia dinheiro da República, que deveria ir para o social, através das empreiteiras OAS e ODEBRECHT, onde mantinha robusta conta corrente titulada por apelido, decorrente da propina que recebia por obras superfaturadas das empreiteiras à União ou por serviços prestados durante o seu governo e depois dele às empreiteiras.

Por isso, com a delação de gente da confiança de Lula, como Palocci e outros, a Operação Lava-Jato desmontou o modus operandi corrupto de Lula, que fez o ex-sindicalista pobretão constituir fortuna só vivendo de política, a ponto de Lula ser titular de aplicação em previdência privada -BRASILPREV- em cerca de 9 milhões reais, bloqueados pela Justiça.

Lula é o exemplo mais negativo de como tirar proveito do poder e da coisa pública. A condenação de doze anos e um mês de cadeia é muito pouco. Deveria ficar preso e inelegível para o resto da vida. Aliás, o Fisco deveria questionar qual a fonte lícita de Lula para poder bancar os advogados que vêm peitando o Judiciário.

Agora, uma rápida pincelada a respeito da propriedade do imóvel de Guarujá, que Lula e advogados chicaneiros tentam engabelar incautos cidadãos brasileiros, sob o frágil argumento de que o tríplex não pertence ao ex-presidente porque não está registrado em seu nome.

Como se fazem de incultos propositais, principalmente o advogado José Roberto Bathoquio, que parecendo atuar num picadeiro de saltimbancos na Suprema Corte, de forma acadêmica tergiversou sobre a ausência da titularidade de Lula no registro de imóvel, para justificar a sua isenção, bem como sofismou ao falar de disseminação do autoritarismo no planeta, referindo-se à “prisão” do ex-presidente Francês, Nicolas Sarkozy, que, na verdade, foi colocado sob custódia para dar depoimento, o que é normal na França, e depois de ser indiciado por corrupção passiva, financiamento ilegal de campanha e ocultação de dinheiro recebido de Muamar Kadafi, foi liberado.

Ora, é por demais cediço que no país há milhares de imóveis não registrados em nome de seus verdadeiros proprietários por razões as mais diversas, inclusive para esconder o legítimo titular, como é o caso do Lula. Acordos de gaveta e outras especiosidades, no ramo imobiliário, não é nenhuma novidade. Lula e seus advogados são muito espertos na vã tentativa de enganar incautos.

Léo Pinheiro/OAS, declarou ao juiz Sérgio Moro que Lula era o proprietário oculto do tríplex no Guarujá e que reformou o imóvel a pedido dele e de sua falecida esposa. Mas Lula, na maior cara de pau, disse ao juiz Sérgio Moro que não sabia da reforma no tríplex.

E meia dúzia de parvajolas petistas e comunistas ainda quer discutir a honestidade de Lula e a sua prisão? Vão plantar bata no deserto!!!

quarta-feira, 18 de abril de 2018

Em vídeo à TV Al Jazeera, Gleisi pede apoio para libertar Lula

Em vídeo à TV Al Jazeera, Gleisi pede apoio para libertar Lula

Com riscos de incitação ao mundo árabe contra o Brasil e a nossa democracia, Gleisi tem que ser levada ao Conselho de Ética, pois ela desafia o Judiciário e a nossa República. Parece que a senadora perdeu o senso.

Parlamentares tentam intimidar a Justiça em Curitiba


Demonstrando que não têm o que fazer no Congresso, grupo de parlamentares vão a Curitiba verificar as condições em que se encontram o ex-presidente. Uma verdadeira palhaçada. Por acaso, as excelências se preocupam em saber in loco como os demais presos do país estão sendo tratados?

Não haverá virada da mesa para livrar Lula da cadeia. Todas as tentativas serão em vão. Podem apelar ridiculamente aos organismos internacionais. Lula era o maior comandante de uma organização criminosa que tomou de assalto o Estado brasileiro, onde os pobres eram enganados com migalhas recebidas e o ex-presidente e sua organização se enriqueciam com dinheiro da nação.

A ex-presidente sul-coreana Park Geun-hye foi condenada a 24 anos de prisão por corrupção e abuso de poder e, no entanto, na Coreia do Sul não houve nenhuma exaltação violenta similar à protagonizada por desvairados sectários esquerdistas brasileiros e nem os parlamentares foram inspecionar as condições da prisão ou como a condenada está sendo tratada.

O ex-presidente do Peru Ollanta Humala foi preso preventivamente, acusado de lavagem de dinheiro e também, no Peru, não houve nenhuma comoção desvairada e nenhum parlamentar foi inspecionar as condições da prisão ou como o preso está sendo tratado.

Por que Lula, condenado por robustas provas, que comandava um esquema criminoso de saque sistemático de dinheiro público, como ficou provado na Lava-Jato, pode ter tratamento diferenciado, por exemplo, de um Fernandinho Beira-Mar, cuja única diferença entre ambos está no modus operandi de agir?

Lula ou qualquer outro condenado merece respeito humano, mas não pode o Judiciário permitir a intromissão de parlamentares no cotidiano carcerário de Lula, em desconsideração aos demais apenados do país.

Assim, causa perplexidade a audácia de um bando de hipócritas parlamentares se afastarem de suas obrigações no Parlamento para ir levar solidariedade a um condenado igual a outro qualquer.

terça-feira, 17 de abril de 2018

Grupo de parlamentares vão a Curitiba verificar as condiçõs em que se encotram o ex-presidente

Grande palhaçada dessa trupe de parlamentares que demonstram não ter o que fazer no Congresso e vão visitar Lula. Por acaso as excelências se preocupam em saber in loco como os demais presos do país estão sendo tratados?

A ex-presidente sul-coreana Park Geun-hye foi condenada a 24 anos de prisão por corrupção e abuso de poder e, no entanto, na Coreia do Sul não houve nenhuma exaltação violenta similar à protagonizada por desvairados sectários esquerdistas brasileiros e nem os parlamentares foram inspecionar as condições da prisão ou como a condenada está sendo tratada.

O ex-presidente do Peru Ollanta Humala foi preso preventivamente, acusado de lavagem de dinheiro e também, no Peru, não houve nenhuma comoção desvairada e nenhum parlamentar foi inspecionar as condições da prisão ou como o preso está sendo tratado.

Por que Lula, condenado por robustas provas, que comandava um esquema criminoso de saque sistemático de dinheiro público, como ficou provado na Lava-Jato, pode ter tratamento diferenciado, por exemplo, de um Fernandinho Beira-Mar, cuja única diferença entre ambos está no modus operandi de agir?

Lula ou qualquer outro condenado merece respeito humano, mas não pode o Judiciário permitir a intromissão de parlamentares no cotidiano carcerário de Lula, em desconsideração aos demais apenados do país.

Assim, causa perplexidade a audácia de um bando de hipócritas parlamentares se afastarem de suas obrigações no Parlamento para ir levar solidariedade a um condenado igual a outro qualquer.

segunda-feira, 16 de abril de 2018

UM PARLAPATÃO NA PRISÃO


Alguém já disse que petista é igual a corno apaixonado. Você avisa, mostra as fotos, mostra vídeo e mesmo assim ele não acredita.

Vejam um momento de descontração de Lula em que ele confessava o seu caráter mentiroso, acessando https://www.youtube.com/watch?v=M5bOtqmvJHE20.

Que em conversas de botequim tudo pode ser dito após alguns goles da "marvada", vá lá. Mas fora do ambiente de botequim, alguém, que já comandou a nação em duas ocasiões, não pode servir de saltimbanco para divertir qualquer plateia, mentindo sobre a realidade brasileira. O que bem revela a pouca seriedade e falta de decoro de um ex-presidente da República.

Um canastrão desses, infelizmente, foi presidente do Brasil. Um verdadeiro biltre aclamado pela corja petista e que agora encontrou o seu adequado lugar, na cadeia, para mentir e divertir as pulgas.


sábado, 14 de abril de 2018

Prefeito anuncia mudança no colegiado de Balneário Camboriú

Não tem jeito mesmo. Mudam os políticos, mas as práticas viciadas e de desrespeito eleitoral continuam.

O prefeito Fabrício Oliveira e o vereador David La Barrica, que interrompe o seu mandato para exercer secretaria no município, deveriam se corrigir e ter um mínimo de respeito ao instituto do voto, ou seja, ao eleitor que elege um cidadão para exercer mandato até o fim e não para ludibriar o eleitor, interrompendo o mandato para exercer cargo na administração pública. Estelionato eleitoral é imoral e somente os políticos biltres não respeitam o cumprimento do voto.

Quando em época de eleição, os candidatos se apresentam ao eleitor, como cordeirinhos desmamados, para pedir por amor de Deus o seu voto. Mas depois de eleitos, costumam dar uma banana ao eleitor como se não lhe devesse satisfação. Como se observa, trata-se de políticos imorais e irresponsáveis com as suas obrigações de mandatos.

Se o eleitor fosse mais politizado e também mais responsável não deveria (1) votar nos Fabrícios da vida que colocam em secretarias vereadores eleitos e (2) nem reconduzir ao Legislativo vereadores moleques, descumpridores de seus mandatos.

Lamentavelmente, o modus operandi do Fabrício é igual ao que ocorre no país. É por isso que a nossa política, entre outras coisas, é esta pouca-vergonha.

quarta-feira, 11 de abril de 2018

Justiça nega visita de governadores e senadores a Lula


Um bando de governadores e senadores ociosos, que deviam estar em seus postos de trabalho, em plena terça-feira (10), foi visitar um condenado. E quem pagou as passagens e hotéis deles? Claro, os contribuintes!

Cambada de mequetrefes em solidariedade a um larápio da República, condenado pela Justiça à prisão, que conseguiu ficar rico só vivendo da política.

Além de Flávio Dino (MA) e Gleisi, compareceram à superintendência os governadores Camilo Santana (Ceará), Renan Filho (Alagoas), Ricardo Coutinho (Paraíba), Rui Costa (Bahia), Tião Viana (Acre), Paulo Câmara (Pernambuco), Valdez Gois (Amapá) e Wellington Dias (Piauí), bem como os senadores Lindbergh Farias (PT-RJ) e Roberto Requião (MDB-PR).
Cambada, diz-me com quem andas e te direi que és.