quinta-feira, 2 de julho de 2015

A derrota da bancada dos "bebezinhos" infratores


A bancada de apoio aos “bebezinhos” infratores não se conforma de ser atropelada pela decisão restauradora da redução da maioridade penal, aprovada por 323 votos contra 155 e 2 abstenções, enterrando a decisão anterior, que inviabilizava a redução. A matéria ainda precisa ser apreciada em segundo turno para depois seguir ao Senado.

A bancada dos “bebezinhos” infratores tem que deixar desses fricotes e faniquitos, inclusive de cooptar incautos jovens - sem discernimento do que representam os crimes praticados por adolescentes na sociedade - para compor a claque babélica de manifestantes na galeria do Congresso contra a redução da idade penal.

A bancada dos “bebezinhos” tem que respeitar mais de 85% da população que se posiciona a favor da redução da maioridade penal. Os parlamentares foram eleitos pelo povo para representar os anseios sociais e não para defender apenas suas ideias ou de pequenos grupos hipócritas.

Os políticos não podem atuar em seus próprios interesses ou ser procuradores de pequenos grupos, que se consideram especiais para ditar normas ao país. Em democracia deve ser respeitada a decisão da maioria. E quando essa maioria representa mais de 85% a favor da redução da idade penal, cabe ao Congresso Nacional se curvar ao desejo social senão estará cometendo um grande golpe na democracia.

Com pedalada ou não, ressurge a esperança de que os crimes praticados por adolescentes infratores não fiquem na impunidade. Assim, os “bebezinhos” infratores, quando afrontarem a sociedade desarmada, pacífica e pagadora de impostos, receberão a merecida resposta da lei como devem receber todos aqueles que não se comportam dentro da legalidade, inclusive a corja de políticos corruptos ou os que protegem quadrilha de corruptos, que desvia recursos públicos, como no petrolão, que deveriam ser aplicados na educação da sociedade mais carente, nos serviços públicos de saúde e na segurança dos cidadãos.

Um comentário:

Revolta do Vinagre disse...

Concordo contigo que é preciso respeitar a democracia, mas a democracia foi estuprada quando o "nobre" presidente da camara descontente com a derrota da noite anterior articulou com sua bancada e pos em em pauta para votação a materia já vencida, o que é inconstitucional já dito por um dos ministros do STF. Agora eu pergunto a você em que país tal medida deu resultado? eu moro em portugal e não há tanta criminalidade juvenil e não há estas leis para punir o menor infrator, e qual vai ser o próximo limite de idade se esta medida não resultar? não sou nenhum conhecedor de segurança publica mas fico pensando que paises como a Espanha e a Alemanha voltaram atrás na decisão de criminalizar menores de 18 anos. Hoje, 70% dos países estabelecem 18 anos como idade penal mínima, a unicef já manifestou contra a iniciativa Brasileira será que estão erradas estas instituições que elaboraram estudos sobre o assunto? será que estão equivocadas estes paises que experimentaram e voltaram atraz?